sábado, 9 de Julho de 2011

Sistemas de Comunicação Aumentativa e Alternativa


 
Quando falamos em comunicar, surgem na memória designações como “pôr em comunicação; participar, fazer saber; transmitir-se; propagar-se”. A pluralidade destes enunciados evidencia não só a diversidade do seu significado, como as diferentes utilizações que o mesmo pode apresentar.
            As tecnologias e o seu constante aperfeiçoamento, originaram, consequentemente, uma evolução nos meios de comunicação, uma vez que na sociedade actual, esta detém um papel preponderante e imprescindível no dia-a-dia. Desta forma, é imprescindível e necessário que todos os indivíduos obtenham a mesma possibilidade de acesso à comunicação. No entanto, nem sempre esta tarefa surge facilitada, quando pensamos nas dificuldades de algumas crianças com necessidades educativas especiais, onde a comunicação surge, muitas vezes, limitada ou dificultada pela patologia apresentada.
            Com base nesta preocupação, surgem as TIC (Tecnologias da Informação e Comunicação), que permitem a possibilidade de ultrapassar alguns obstáculos possibilitando a igualdade de oferta das mesmas oportunidades melhorando, consequentemente, a qualidade da educação dos alunos com NEE.
            Assim sendo, e com vista à integração das crianças com nee (necessidades educativas especiais) na comunidade escolar e na sociedade, surgem alguns sistemas de apoio destacados de seguida, como os sistemas de comunicação alternativa e aumentativa, “Uma área de prática clínica que pretende compensar (temporária ou permanentemente) os défices e dificuldades de indivíduos com perturbações severas da comunicação” (1989, p.107 em Beukelman e Mirenda, 1998:3).

Sistemas de Comunicação Alternativa e Aumentativa
            Os sistemas de comunicação Alternativa e Aumentativa têm sido frequentemente utilizados na educação especial como forma de acesso à informação, comunicação, integração e autonomia.
            Entre os sistemas mais conhecidos, destacam-se:
·         PIC (Comunicação por ideogramas e pictogramas)
·         SPC
·         BLISS
·         BRAILLE
·         MAKATON
·         SDP (Speaking Dynamically Pro)
·         Entre outros…

Sistema PIC (Comunicação por ideogramas e pictogramas):

            O Sistema PIC (Pictogramas Ideogramas para a Comunicação) teve a sua origem no Canadá, onde foi concebido no ano de 1980 por um Terapeuta da Fala, de seu nome Subhas Maraj.
            Consiste na utilização de desenhos estilizados que formam silhuetas brancas sobre um fundo negro.
            Actualmente, existem cerca de 1300 signos PIC. Este sistema não apresenta muitas dificuldades na sua utilização, sendo encarado como de fácil compreensão, no entanto, é considerado limitado pela existência de apenas 400 signos PIC na versão portuguesa. A construção de novas palavras ou a formação de frases nem sempre é considerada fácil.
            Destina-se sobretudo a ser utilizado por crianças que apresentem dificuldades de visão, uma vez que o branco no fundo preto apresenta um contraste mais relevante, bem como a portadores de deficiência mental, e com problemas de comunicação.

Sistema de comunicação criado no início dos anos 80 pela fonoaudióloga americana Roxanna Mayer Johnson. Composto por um conjunto de símbolos difundido no mundo inteiro, formam um sistema de comunicação completo, originalmente desenhados para criar, rápida e economicamente, recursos de comunicação consistentes e com acabamento profissional.

Este sistema de comunicação é composto por desenhos simples e claros, de fácil reconhecimento, destinados a usuários de qualquer faixa etária. Encontram-se divididos em seis categorias de palavras: social, pessoas, verbos, descritivo, substantivos e miscelânea. São facilmente combináveis com outros sistemas de símbolos, figuras e fotos para a criação de recursos de comunicação individualizados, extremamente úteis numa grande variedade de actividades e lições.
Este sistema de comunicação encontra-se disponível através de softwares como o Boardmaker.
O Boardmaker é um programa de computador que contém um conjunto de dados gráfico com mais de 4.500 Símbolos de Comunicação Pictórica - PCS.




Sistema SPC (Símbolos de Comunicação Pictórica) :
            Sistema de comunicação criado no início dos anos 80 pela fonoaudióloga americana Roxanna Mayer Johnson. Composto por um conjunto de símbolos difundido no mundo inteiro, formam um sistema de comunicação completo, originalmente desenhados para criar, rápida e economicamente, recursos de comunicação consistentes e com acabamento profissional.
            Este sistema de comunicação é composto por desenhos simples e claros, de fácil reconhecimento, destinados a usuários de qualquer faixa etária. Encontram-se divididos em seis categorias de palavras: social, pessoas, verbos, descritivo, substantivos e miscelânea. São facilmente combináveis com outros sistemas de símbolos, figuras e fotos para a criação de recursos de comunicação individualizados, extremamente úteis numa grande variedade de actividades e lições.

Este sistema de comunicação encontra-se disponível através de softwares como o Boardmaker.
O Boardmaker é um programa de computador que contém um conjunto de dados gráfico com mais de 4.500 Símbolos de Comunicação Pictórica - PCS.


Sistema Bliss:
            Os signos Bliss foram criados e estudados por Charles Bliss. É formado por 100 signos básicos que se podem combinar para formar novas palavras.
            As tabelas de comunicação com signos Bliss, consistem, normalmente, numa mistura de signos básicos e combinações convencionais de signos.
Os signos básicos e os signos combinados permitem a construção de frases. Bliss sugeriu uma sintaxe especifica para o sistema Bliss, mas nada impede que cada pessoa utilize a ordem de palavras que desejar. Na maioria das vezes, utiliza-se uma ordem o mais aproximada possível com a língua falada pela comunidade do utilizador.
            O sistema de signos Bliss é o sistema gráfico mais avançado disponível para pessoas não falantes.   




Sistema Braille:
            O sistema Braille foi criado pelo francês Louis Braille que perdeu a visão aos três anos de idade e criou o sistema aos dezasseis.
            É um processo de escrita e leitura baseado em sessenta e quatro símbolos em relevo, resultantes da combinação até seis pontos dispostos em duas colunas de três pontos cada. É possível realizar-se a representação de letras, algarismos e sinais de pontuação. Este sistema é destinado a indivíduos com cegueira e/ou com baixa visão, e a leitura é efectuada da esquerda para a direita, através do toque de uma ou duas mãos ao mesmo tempo.



Sistema Makaton:
            É um programa de linguagem completo que inclui um corpo de vocabulário básico ensinado com o recurso a gestos e símbolos em simultâneo com a fala e pressupõe a utilização de estratégias estruturadas de ensino.
            É constituído por 350 vocábulos / palavras / gestos distribuídos por oito níveis de complexidade crescente.
            O número de vocábulos é restrito, evitando assim a sobrecarga de memória.
            Mesmo nos casos em que a capacidade intelectual para a aprendizagem e memorização é reduzida e, desse modo, não consigam verificar grandes evoluções para além dos estados iniciais.
            Este sistema permite à criança ter uma alternativa à comunicação, de forma muito útil ainda que bastante limitada.
            Destina-se a crianças com bastantes dificuldades de aprendizagem, como é o caso dos autistas, uma vez que utiliza estímulos visuais, auditivos e gestuais.

Sistema SDP (Speaking Dynamically Pro):
            Transforma o computador num recurso eficaz de educação e de comunicação alternativa. É um programa fácil de utilizar e que trabalha integrado ao Boardmaker, permitindo criar inúmeras e actividades interactivas educacionais e de comunicação com acessibilidade total.

            Permite criar pranchas de comunicação interligadas com funções programáveis nas suas células. Esta função do programa permite interligar as pranchas entre si (como links das páginas da Internet), fazendo com que uma célula/tecla abra uma nova prancha temática no ecrã do computador.
            Possui mais de cem funções programáveis que permitem escrever e editar textos na Área de Mensagem, abrir programas, exibir filmes e reproduzir arquivos de som, fala e música.


 

 

1 comentário: